Birras em Direto - Página 2 de 23 - Birras de um puto de 2 anos e de uma mãe de 31 :)

E se a tua história de vida ou de amor pudesse ser contada através de uma peça de teatro?

A ideia mais original de sempre para momentos especiais como casamentos; pedidos de noivado; aniversário de casados; homenagem de vida; despedida de solteira…

Chama-se Ana Isabel Sousa, tem 22 anos, é recém-licenciada em Teatro e a co-fundadora da “Le Conte”. Uma empresa de Animação cujo principal serviço consiste em contar histórias reais – de amor ou de vida – através de uma peça de teatro de 20 a 30 minutos.

Sapinhos. A doença que apanhou os gémeos.

Há dias notei que os gémeos ficavam um pouco irritados quando bebiam o biberão, choravam bastante e eu não achei que fosse normal. Como o Rafa apanhou todas as doenças propícias da idade, acabei por ganhar alguma experiência. Assim, olhei para o interior das bocas deles e reparei que tinham manchinhas brancas, pensei que pudesse ser do leite, mas desconfiei pois lembrei-me de imediato que o Rafael teve uma candidíase oral, os chamados sapinhos, e que o aspeto era semelhante. Falo de uma infeção provocada por um fungo que afeta muitos bebés saudáveis antes dos seis meses devido a uma baixa de imunidade. Não é grave, mas é muito incomodativo.

Porque se diz que as células estaminais podem salvar a vida de um filho?

São muitas as dúvidas sobre este assunto mas também são muitas as opiniões contraditórias. Uns ainda não perceberam realmente se as células estaminais são úteis e se têm um resultado prático, outros não creem na sua utilização mas também não sabem explicar o porquê, e ainda outros acreditam com toda a esperança que se um dia for necessário serão as células que poderão salvar o seu filho.

Mas afinal porque se diz ser tão importante criopreservar as células estaminais do cordão umbilical?

A criopreservação permite que as células estaminais estejam sempre disponíveis em caso de necessidade podendo ser descongeladas e utilizadas no tratamento de inúmeras doenças.
Estas células possuem características únicas e permitem a reparação de tecidos danificados e a substituição das células que vão morrendo. São extremamente importantes no tratamento de várias doenças e já foram utilizadas em mais de 80, como por exemplo anemias, leucemias, linfomas, acidentes vasculares cerebrais (AVC), etc. Com o passar dos anos, as células estaminais têm sido cada vez mais úteis e atualmente estão em estudo para aplicações em doenças como diabetes tipo 1, paralisia cerebral, autismo, artrite reumatóide…

Quando precisei e senti necessidade de saber mais sobre este tema, pesquisei muito e encontrei muita informação e muitos bancos de criopreservação de células estaminais o que me deixou muito confusa. No entanto o maior e mais antigo em Portugal é a Crioestaminal, tendo já guardado  mais de 100 mil amostras de células estaminais e contribuído para 17 tratamentos em doze crianças. Partindo daqui, decidi contactar o que me pareceu ser o mais experiente e esclarecer todas as dúvidas que tinha.

Num próximo artigo falarei sobre a minha experiência com as células estaminais.

Este é sem dúvida um assunto para ser discutido com o vosso companheiro, ninguém poderá condicionar a vossa escolha mas eu posso e devo partilhar a minha pesquisa e experiência visto que também precisei que o fizessem comigo.

Beijinhos

Estou à tua espera também noInstagram e no Facebook

Só tens de me seguir 🙂

O primeiro passeio a cinco. Destino: Coimbra

A primeira escapadinha a cinco aconteceu numa das minhas cidades favoritas. Considerada o centro cultural e intelectual de Portugal, a encantadora Coimbra foi o nosso destino! Dizem que este local se consegue ver apenas em algumas horas mas para sentirmos a sua essência, na minha opinião, é preciso mais, muito mais.

Sempre adorámos viajar, e mesmo com a chegada do Rafa não nos privámos desse gosto. Agora com a família ainda maior, confesso que, ficámos um pouco receosos ao início, mas com uma boa organização tudo é possível. A logística não é fácil, é preciso antecipar e planear. Embora tenha marcado o fim-de-semana com apenas alguns dias de antecedência, decidi fazer logo as malas para ter a certeza que não me esquecia de nada (fiz um artigo sobre toda a organização familiar que foi necessária para esta escapadinha, caso queiram ler, está aqui).

O balanço: 3 meses dos gémeos

Foi precisamente há três meses. No dia 16 de Outubro de 2018 os meus gémeos nasceram, e eu jamais irei esquecer esse momento. Hoje, estão de parabéns!

E que balanço faço eu destes três meses?

Desafio é a palavra que elejo. Com o Rafa foi tudo muito diferente, mas o efeito novidade continua a existir porque agora são dois e todos os bebés são diferentes. Por um lado, por já ser a minha segunda viagem, relativizo determinadas situações e já sei como agir em muitas delas, porém, ainda não consigo dominar toda esta logística que me obriga a cuidar de dois bebés, cada qual com a sua necessidade e feitio; do filho mais velho; da família; e de mim.

Não nasci para ser mãe a tempo inteiro

Hoje, pedi ao teu pai para te adormecer mas como já estás habituado a que seja eu bateste o pé e não quiseste. Lá  acabaste, a muito custo, por te convencer. (Aqui entre nós, que ninguém nos ouve, sabe-me bem saber que és o menino da mamã, mas por vezes também preciso dos meus momentos). Expliquei-te que tinha de trabalhar mas tu não entendeste pois conheces o escritório do papá e o meu não. Disse-te que ía trabalhar na sala e tu nunca mais descansaste. Vieste mais de cinco vezes confirmar se estava aqui e eu confirmei a insegurança que tu tens da minha ausência. Confesso que eu já suspirava por não me conseguir concentrar a escrever os artigos, perante tantas interrupções. Tive de te escolher, sabia que estavas com saudades do meu colo e encostei-te a mim. Rapidamente adormeceste.

A carta do neto ao avô

Quando nasci disseste à minha Mãe que me amavas, mas que o amor que um pai sente por um filho é muito maior.

Hoje, já te arrependeste do que disseste na altura, pois percebeste que o amor que sentes por mim cresceu de tal forma que já não o distingues daquele que sentes pela mamã.

Assim como a minha mãe eu vejo em ti um ídolo, sabias? Os meus olhos brilham mal te vejo, e sei que os teus espelham o mesmo e que darias a vida por mim.

É tempo de redescobrir

Sou uma pessoa extremamente organizada, chego até a ser um pouco paranoica. Em casa tenho de ter tudo no lugar para a minha cabeça estar também em ordem. Mas costumo brincar com isto ao dizer que é genético, porque minha mãe, tias e primas são todas assim. No entanto, com uma família numerosa nem sempre é fácil estar muito tranquila a este nível. Mas prometo que estou a tentar ser mais descontraída. Há sempre alguma coisa que fica por fazer, sobretudo desde que temos dois bebés para tomar conta. Por mais que tente planear a semana, o dia, nem sempre sai como pretendido e estou na fase de me deixar ir. O que não der para fazer hoje, faz-se amanhã. 

Tenho muitos planos, muitas coisas em mente e quero colocar tudo em prática, mas tenho de respeitar o tempo dos meus filhos. Sempre acreditei que somos nós que fazemos o nosso próprio destino, por isso faço por acontecer. Acredito que este será um ano de semear para mais tarde poder colher.

Ele vence-me pelo cansaço

Fotografia Sugar & Soul Photography

O Rafael é uma criança com apenas três anos, é um miúdo cheio de energia e uma personalidade bastante forte. É carinhoso, educado, sociável, comunicativo, brincalhão, porém, e caso não lhe façamos as vontades, por favor, fujam da sua frente porque altera-se por completo.

Sempre pensei que as birras fossem amenizando com o passar do tempo, mas, sinceramente, acho que pioraram. Podem dizer-me que é normal, dado o nascimento dos gémeos e a natural divisão da atenção. Posso até compreender, mas não me peçam que a paciência seja a mesma. É desgastante e, sim, ele vence-me pelo cansaço. 

Como preparar uma escapadinha em família (com bebés)? Eu ajudo.

Quem tem acompanhado as minhas redes sociais sabe que no passado fim de semana fizemos uma escapadinha, em família, até Coimbra. Marquei hotel, fiz as malas e, contra a “opinião do mundo”, lá fomos nós passar uns diazinhos fora.

E sabem porque coloco as coisas nestes termos? Porque foram muitos os que nos chamaram de loucos por levarmos dois bebés, de dois meses, a passear com este frio, numa viagem de praticamente duas horas que, segundo estes, iria ser bastante cansativa. Mas não lhes demos ouvidos e arrancámos com a maior das certezas. Adoramos viajar e, como ainda não é possível fazê-lo para fora do país, quisemos ir descobrir mais um pouco deste nosso Portugal. O nosso país é lindo!