As birras arrasam convosco? - Birras em Direto

As birras arrasam convosco?

O Rafael sempre foi uma criança com bastante tendência para fazer birras. No início ouvia todas as opiniões e chegava mesmo a pensar que a culpa só poderia ser minha e do Pai. Colocava tanta pressão em cima de nós pelas birras dele que me sentia bastante frustrada e quase sem capacidade para reagir.

Sim também fui o tipo de pessoa que dizia ” O meu filho nunca se irá mandar para o chão no meio de um supermercado a fazer uma grande birra” – CALA-TE BOCA! Claro que ele já berrou no meio de uma superfície comercial ou em qualquer outro espaço, pois para ele não interessa estar em casa comigo ou na rua com 100 pessoas ao seu redor. No início do Blog cheguei a escrever um artigo com dicas para acabar com as birras dos 2 anos (a idade do Rafael na altura). Essas dicas foram e ainda são valiosas para implementar em diversas situações e agora com os gémeos, mais especificamente com o Diego. Podem reler AQUI.

Tenho recebido dezenas de mensagens a perguntarem como consigo resolver as birras e muito sinceramente acho que já me passam um pouco ao lado. No outro dia o Diego estava a gritar como se lhe estivessem a fazer mal pois não queria estar na sua cadeirinha no carro, eu estava no café na fila para pagar e o pai estacionado em frente a tentar acalmá-lo. As pessoas que estavam à minha frente não sabiam que eu era a Mãe e comentaram “Tão pequenino e tão mal educado”. Óbvio que me apetecia mandá-las para todo o lado mas fiz questão de chamar o meu marido para elas verem que era meu filho. Ficaram apreensivas pois sabiam que eu tinha ouvido mas nada lhes disse. Muito honestamente não sei se faço bem em ignorar mas achei que não mereciam a minha boa energia.

O Rafael já está mais calmo nas birras mas ainda aparecem de vez em quando. Posso dizer-vos que o Diego é quem nos tira do sério pois ele não chora apenas, ele grita bem alto ao ponto de nos assustar às vezes. Não era uma pessoa nada paciente mas os meus filhos mudaram essa minha característica. Sinto que estou muito mais calma, muito mais paciente, tento sempre resolver a situação e contornar o momento ou antecipar a birra pois já os conheço muito bem para conseguir fazê-lo.

Se leram o post anterior, sabem que o meu marido está a passar por um momento muito delicado, uma depressão que nos deixa muito inseguros mas o Amor esse continua sempre lá. Para quem já passou pelo mesmo ou conhece casos, sabe que os gritos, as birras, o choro incomoda bastante. Sei pelas suas palavras, por aquilo que presencio quando acontece e porque muitas outras pessoas já mencionaram. Por isso para ele as birras são muito mais complicadas e talvez por isso eu tenha aprendido a lidar com elas de outra forma, não sei se será a mais correta mas pelo menos não me tenho enervado tanto.

Como já perceberam as birras são uma constante aqui em casa, a Diana é a mais tranquila mas mesmo assim tem os seus dias. E querem saber de mais? Eu também as faço e aposto que todas as que estão a ler estas palavras as fazem. A maioria das birras são momentos de frustração. Cada criança é única e muitos podem dizer que vem da educação mas eu posso provar que NÃO. Tenho três filhos educados da mesma forma e são todos muito diferentes.

Muita calma aí por casa pois aposto que a quarentena não foi nada fácil.

Um beijinho grande

Marta Rodrigues

Lê também estes Artigos

Comentários (2)

  • Sara Cristina Oliveira Marques Ventura 5 meses ago Responder

    Olá 🙂 Quero só acrescentar que por trás de uma birra há sempre uma necessidade e, muitas vezes os pais não estão a saber satisfazê-la, ou eles não tem um sistema emocional desenvolvido o suficiente. Porém, faz parte do crescimento e as birras, a forma como as encaramos, definem muito a educação deles. Mas ninguém é de ferro e às vezes lá sai um grito ou um discurso menos adequado. Isto é uma constante aprendizagem (a maternidade). É viver em amor e isso deve chegar, espero eu!

  • Daniela 5 meses ago Responder

    Querida Marta!
    Na minha sincera opinião de mãe de uma menina! As birras não são sinónimo de má educação, são sim a maneira que cada criança tem de exprimir o que sente! Má educação é falarem e comentarem uma birra de uma criança sem se dar ao trabalho de pensar que é uma criança que ainda não sabe o que é “saber estar”!
    Por acaso sempre tive sorte de nunca ouvir esse tipo de comentários! Mas já respondi “ estou a criar um ser humano e não um robô” por causa de dizerem que a minha filha é mimada! Opinar sem ninguém lhe pedir opinião isso sim é má educação!

Deixar Resposta