Quando pensam que a tua vida é perfeita... - Birras em Direto

Quando pensam que a tua vida é perfeita…

Estas palavras foram escritas pelo meu marido na sua página e eu decidi partilhar convosco porque nem sempre as redes sociais mostram o que estamos realmente a sentir e a viver…

Com “isto tudo” sinto necessidade de partilhar, de forma curta e direta:

– Há pouco mais de 1 ano, tive um Burnout
– Há pouco mais de 1 ano, comecei a ter crises de ansiedade
– Há pouco mais de 1 ano, comecei a ter ataques de pânico
– Há pouco mais de 1 ano, pensei que ia morrer ali, sem saber como nem porquê
– Há pouco mais de 1 ano que o meu propósito não é o mesmo
– Há pouco mais de 1 ano, cheguei ao meu limite
– Há pouco mais de 1 ano que não sou o mesmo
– Há pouco mais de 1 ano que sinto que falhei e continuo a falhar
– Há pouco mais de 1 ano que perdi coragem
– Há pouco mais de 1 ano, percebi que afinal a minha mente não era inabalável
– Há pouco mais de 1 ano, percebi que o passado não se apaga, fica em nós e em algum momento volta à nossa vida
– Há pouco mais de 1 ano, comecei a sentir que tudo o que tinha, era ou acreditava, em poucos minutos, não servia para nada
– Há pouco mais de 1 ano, senti de forma dura e fria, que o super-homem também fica sem capa
– Há pouco mais de 1 ano, percebi que ajudar os outros não é mais importante que ajudar-me a mim próprio
– Há pouco mais de 1 ano, comecei a perceber que o medo de morrer supera qualquer dor que outrora sentimos
– Há pouco mais de 1 ano, que me olho ao espelho e tento encontrar-me
– Há pouco mais de 1 ano, que olho para trás e todas as montanhas que subi, que me fazia sentir orgulhoso e de peito cheio, por e simplesmente não tem o mesmo impacto em mim
– Há pouco mais de 1 ano que preciso parar
– Há pouco mais de 1 ano que procuro virar a página
– Há pouco mais de 1 ano que procuro por essa página
– Há pouco mais de 1 ano que procuro entender se este novo eu (que não sou eu) é passageiro
– Há pouco mais de 1 ano que preciso de paz
– Há pouco mais de 1 ano, tenho saudades de mim
– Há pouco mais de 1 ano que choro em “silêncio, sem lágrimas
– Há pouco mais de 1 ano que procuro avançar

Poderia ficar aqui durante horas… Mas há pouco mais de 1 ano que tenho vindo a descobrir que em cada novo dia que nasce, um novo caminho se abre.

Poucos conhecem a minha história. (Penso em partilhar muito em breve).

Mas quem priva comigo, sabe que independentemente do PROBLEMA (Não! Não eram desafios. Eram mesmo PROBLEMAS!), eu, de uma forma muito natural encarava ele de frente, com um sorriso verdadeiro e genuíno e com uma FOME de crescer e evoluir com esse problema.

Eu acreditava plenamente que todos esses problemas que vivi, ao longo de 33 anos, tinham-me transformado num Homem de Ferro. Que conseguia sentir e ser, de forma muito intensa e emotiva, mas ao mesmo tempo com um escudo invisível que me protegia de tudo e todos.

Há pouco mais de 1 ano, descobri que esse escudo também se parte e precisa ser reparado.

Talvez demore mais 1 ano, mas irei reparar, peça por peça, esse escudo.

E quando regressar. Quanto o meu eu voltar (ou re-nascer).

Não voltarei só com esse escudo. Só com a capa do Super-Homem.

Voltarei mais forte. Mais genuíno. Mais confiante. Mais feliz. Mais em paz. Mais corajoso.

Não sei quando será, mas quando for, eu saberei.

Há pouco mais de 1 ano, uma parte de mim morreu. Desapareceu. Evaporou-se. Fugiu.

Não a quero encontrar para voltar a ser o que era. Quero apenas colar as peças e construir um novo EU.

Obrigado a todos, que ao longo destes anos me têm ajudado a ser um bom Homem, um bom Pai, um bom Amigo, um bom Profissional, um bom Filho, um bom Irmão, um bom Ouvinte, uma boa Pessoa.

A vida dá muitas voltas. Muitas vezes precisamos dar a volta com ela e dançar ao seu ritmo. Outras vezes precisamos abrandar (ou até mesmo parar) e observar para onde ela se dirige.

A vida é única e maravilhosa. Mas ao mesmo tempo é muito difícil. Desafiante. Uma merda. Fodida!

A mente pode ser a nossa melhor amiga, ou a pior inimiga.

Sempre tive uma paixão por ela. Não vou desistir agora. Mais cedo ou mais tarde, vamos ser os melhores amigos novamente.

Não sei bem porque razão decidir partilhar isto. Foi espontâneo. Não procuro likes nem partilhas, até porque raramente escrevo algo aqui.

Talvez consiga ajudar pelo menos 1 pessoa, a perceber que não é a única a sentir-se uma merda, um fracassado, que não tem solução para o seu problema e que isso tudo é uma mentira da sua cabeça e que a ajuda está mais perto do que ela pensa.

Ser (ou estar) vulnerável não é vergonha. Falhar ou Fracassar não é vergonha. Pedir ajuda não é vergonha. Parar não é vergonha. Dar 2 passos atrás não é vergonha.

Não desistas. Nunca. Vieste a este mundo para aprender, acrescentar, agregar, partilhar, sorrir, fazer sorrir, deixar o teu legado, ser feliz e não melhor.

Não desistas. Olha-te ao espelho. Encara-te. Faz as perguntas certas. E pede ajuda.

Não fales só com a tua mente. Não ouças só a tua mente. Pede ajuda.

Não precisas ser melhor que ninguém. Só precisas ser feliz. E para isso, precisas de tão pouco.

Desculpa. Perdoa-me. Obrigado. Amo-te.

Um abraço a todos.
Edi 💪🏿

Lê também estes Artigos

Comentários (3)

  • Bruno Fernandes 5 meses ago Responder

    Meu amigo de outros tempos. Lamento tanto por estares a passar por esse momento menos positivo na tua vida. Quero dizer-te que não estás sozinho e que este velho amigo que outrora tantos sorrisos partilhou contigo te envia um enorme abraço cheio de força e com a esperança que aquele velho Edi indestrutível, cheio de vida e sempre com um sorriso no rosto volte. Força nisso camarada.

  • Ana Paula Martins 5 meses ago Responder

    Coragem…
    Vai tudo ficar bem…
    Tem tudo para ficar bem, porque tem o mais importante… uma família maravilhosa, uma mulher de guerra e uns birras deliciosos.
    Por isso nunca duvide da sua capacidade de ficar bem.💙

  • Isabel 5 meses ago Responder

    Esse poderia ser um post meu, mas não foi há pouco mais de um ano, foi há cerca de quatro anos atrás, para além disso sou psicóloga, pensava que era inabalável, vivi na primeira pessoa, o que vivi muitas vezes através dos clientes. E não, não se fica partido, só que olhamos os nosso medos de frente, conhecemos-nos melhor, olhamos para o escuro dentro de nós com coragem e ficamos mais fortes, porque sabemos que podemos cair mas que nos sabemos levantar. Procure um bom profissional que faça esse caminho “de mãos dadas” consigo, não é fácil mas é recompensador.

Deixar Resposta