Sair à rua sozinha com os gémeos? Check! - Birras em Direto

Sair à rua sozinha com os gémeos? Check!

Fotografia Sugar & Soul Photography

Hoje venho falar-vos das minhas saídas com os gémeos. Só eu e eles. Podem chamar-me maluca, até porque ultimamente já me habituei a que o façam. Mas eu sempre preferi arriscar ao invés de ficar na zona de conforto. Sou mesmo assim.

São muitas as pessoas que me perguntam como é possível, quando nem só com um se atrevem a sair de casa. Acreditem, prefiro tentar fazer a minha vida normal do que lamentar-me que não tenho capacidade para tal. Tudo exige uma adaptação e é isso que estou a fazer, a adaptar a minha vida a eles e a tentar que eles também se adaptem às minhas rotinas. Não sou extremista ao ponto de os forçar adaptarem-se a TUDO, até porque não concordo com isso. Mas tenho ouvido muitas opiniões nesse sentido.

Na semana passada fui ao shopping e, claro, foi complicado ter que, sozinha, montar e desmontar o carro, colocar e tirar os ovinhos, etc, já para não dizer que é sempre possível ambos começarem a chorar por alguma razão, como, aliás, viria a acontecer. Estava a fazer as compras de Natal e começaram os dois num berreiro que só visto, de imediato fui mudar fraldas e alimentar os birras naqueles espaços próprios que existem nestas superfícies comerciais. Tentei acalmá-los e acabei por ser bem-sucedida, com um pé abanava o carro com a Diana lá dentro e dava, ao mesmo tempo, o biberão ao Diego. A receita milagrosa estava encontrada, depois foi só trocar (Diana a comer, Diego a embalar). Ao meu redor tinha mães sempre acompanhadas por avós e companheiros. Escusado será dizer que me senti uma verdadeira atração de circo, porque todos olharam, todos comentaram, alguns até se disponibilizaram a ajudar e, por fim, todos se lamentaram por estar ali sozinha e tão atarefada.

Fiz as minhas coisinhas com muita tranquilidade e continuei o meu passeio. Cruzei-me com imensas pessoas que olhavam e até deixavam escapar tiradas mais desagradáveis como: “Ah, gémeos! É muito giro, mas, coitada, deve ter um trabalhão! Eu não gostava de os ter”. Não imaginam a quantidade de vezes que ouvi esta expressão num espaço de duas horas, o tempo que estive no centro comercial. 

Enfim, continuei as minhas compras, fui almoçar, tranquila da vida e voltei para casa. Estava cansada, mas muito feliz. PORRA, TINHA CONSEGUIDO SAIR SOZINHA COM ELES! 

Não me arrisco a sair sozinha com os três, isso já seria passar os limites, principalmente porque só o Rafa já é difícil de controlar, quanto mais acompanhado dos irmãos.

Para as mães de gémeos que estão a ler este artigo, e eu sei que estão muitas desse lado, digam lá que não passaram por isto?

Mas, vá, ainda deu para me rir bastante com os olhares e os comentários das pessoas.  Comentam, vêm falar comigo ou falam baixinho, o que não vale a pena é “berrarem” aos meus ouvidos e, ainda assim, fingirem que não queriam que ouvisse. E eu a pensar que os comentários despropositados iriam terminar na gravidez… 

Beijinhos

Estou à tua espera também noInstagram e no Facebook

Só tens de me seguir 🙂

Lê também estes Artigos

1 Comentário

  • Patrícia 3 meses ago Responder

    Sei tão bem como é. Quando a Ema nasceu , a mais velha tinha 5 anos e a do meio tinha 3 sair com as 3 era um fandango, mas eu já levava aquilo na desportiva, pois não havia marido que me valesse pois estava no estrangeiro.

Deixar Resposta