Um dia de cada vez - Birras em Direto

Um dia de cada vez

Como vos confessei ontem, estava com muito medo de partilhar este momento convosco, acho que me conseguem perceber! É um momento tão íntimo, tão cheio de dor, de dúvidas, que resguardadas nos sentimos melhor. Por outro lado, o vosso carinho é tão valioso e revitalizante que não aguentei não abrir o coração.

Queria agradecer-vos por todo o amor, acreditem, fizeram-me chorar de emoção e estou, profundamente, grata a cada um de vocês. Agradecer-vos é pouco, todas as vossas palavras confortaram o meu peito (e a minha barriguinha, se é que me entendem)!!! Até consegui dormir melhor. Obrigada, obrigada por estarem desse lado

O repouso absoluto continua e nem penso em voltar para casa, nem quero!  Não pensem que não me custa deixar o meu filho e o meu marido no caos e no sofrimento dentro daquelas paredes, mas sei que preciso mesmo de estar aqui!

O meu filho está a sentir tudo da pior maneira, e os comportamentos estranhos começam a ser já visíveis. E isso custa-me tanto! No entanto, sinto que aqui não estou em perigo e que consigo descansar, e tenho os melhores profissionais ao meu lado. A minha família e amigos visitam-me sempre que podem, e enchem-me a alma com tanta força e energia (e bem sei que a eles também lhe custa).

As contrações abrandaram, mas não desapareceram. Os bebés mexem bem e já estão ambos cefálicos e a fazer das deles (traquininhas). O peso na barriga, que já desceu, é enorme, mas tenho de ser forte e aguentar. Às vezes sinto tanto medo.  Estou desejosa de fazer uma nova ecografia para saber como estão eles a crescer, o que só acontecerá na próxima semana. Até lá resta-me esperar.

Também não posso estimular muito a barriga nem o peito, porque como já tenho colostro, pode desencadear o parto. Não fazia ideia!

Falo muito com a Diana e com o Diego e imagino-os fortes, felizes e saudáveis! Estou a levar tudo isto por etapas e a próxima a atingir são as 32 semanas, e depois rumo ao grande objetivo: as 36! Terei de esperar oito semanas numa cama de hospital? Parece-me que sim, e para o bem deles ficaria os nove meses se fosse preciso!

As perguntas (tantas!) surgem várias vezes ao dia, e as respostas nem sempre são claras. Costumo procurá-las nos mais pequenos sinais, mas tenho de parar de ser tão ansiosa.

Quero acreditar que o final será feliz e que este será apenas um momento passageiro. Porque uma história de encantar também tem as suas peripécias pelo meio até se chegar ao “viveram felizes para sempre”.

Estou à tua espera também no Instagram e no Facebook 

Só tens de me seguir 
🙂

Lê também estes Artigos

Comentários (2)

  • Patrícia 5 meses ago Responder

    Daqui uma mamã k sempre teve k “trabalhar “para pôr os bebés fora do t1 e um deles teve mesmo “ordem de despejo”😂 que não queria sair por nada 😂😂😂
    Isto para que saiba que não imagino o que está a passar mas que daqui vão todos os meus.pensamentos positivos🙏 espero que a D o D se mantenham no quentinho por mais 8semanas☺ muita força!

  • Patricia 5 meses ago Responder

    Olá força eu sei o que isso é sou mãe de dois rapazes gémeos e aguentei até às 38 semanas mal me conseguia mexer. Também fiquei internada 15 dias para os ter e valeu a pena! Nasceram com 3,200 e 3,150 e mediam 47 cm e 48cm vale a pena esperar é para bem deles! Força e vá contado como tudo está a correr pois adoro ler tudo o que escreve! Beijinhos a todos e força 👍

Deixar Resposta