É tempo de redescobrir - Birras em Direto

É tempo de redescobrir

Sou uma pessoa extremamente organizada, chego até a ser um pouco paranoica. Em casa tenho de ter tudo no lugar para a minha cabeça estar também em ordem. Mas costumo brincar com isto ao dizer que é genético, porque minha mãe, tias e primas são todas assim. No entanto, com uma família numerosa nem sempre é fácil estar muito tranquila a este nível. Mas prometo que estou a tentar ser mais descontraída. Há sempre alguma coisa que fica por fazer, sobretudo desde que temos dois bebés para tomar conta. Por mais que tente planear a semana, o dia, nem sempre sai como pretendido e estou na fase de me deixar ir. O que não der para fazer hoje, faz-se amanhã. 

Tenho muitos planos, muitas coisas em mente e quero colocar tudo em prática, mas tenho de respeitar o tempo dos meus filhos. Sempre acreditei que somos nós que fazemos o nosso próprio destino, por isso faço por acontecer. Acredito que este será um ano de semear para mais tarde poder colher.

Enquanto estou a escrever este artigo, olho para os meus birras mais novos. O Diego está a dormir há três horas, a Diana está constantemente a acordar com algum desconforto que vou tentando acalmar e ela responde com sorrisos. Há algo melhor que o sorriso de um bebé para fazer esquecer tudo? 

Quando larguei o trabalho para me dedicar à família tinha a certeza, na altura, que seria temporário, que rapidamente iria voltar ao ativo, mas que nunca seria nas mesmas condições. Apesar de amar verdadeiramente o que fazia, não poderia permitir-me voltar ao mesmo com um filho de apenas um ano. Se quero voltar a fazer o que fazia? Claro que quero, mas neste momento tenho outras prioridades.

Saber dizer “não” nunca foi uma das minhas virtudes. Sou uma leoa, sim, mas também tenho os meus receios, as minhas inseguranças, que às vezes me impedem de avançar. Não quero magoar ninguém, nem mesmo a mim própria. 

Este ano tenho de começar a ser a mulher que ambiciono, a deixar de lado todos os medos e arriscar em todas as áreas da minha vida. Já comecei a trilhar esse caminho, mas sinto que ainda vou a meio e não posso permitir-me ser apenas metade do que ambiciono ser. Sinto que me vou redescobrir, que preciso de o fazer. 

Estas palavras podem ser confusas para vocês, mas acreditem que, ao longo do ano, tudo fará sentido. Agora estou mesmo nessa fase, na fase da confusão, do querer fazer e não poder, das descobertas, das cedências, das prioridades.

Só tenho de aceitar esse tempo. Faz parte, não é verdade?

 Beijinhos

Estou à tua espera também noInstagram e no Facebook

Só tens de me seguir 🙂

Lê também estes Artigos

1 Comentário

  • Sofia Garcia 2 meses ago Responder

    Faz mesmo parte. Passei pela mesma fase, pela mesma sensação, presumo, de que seria difícil voltar a fazer o que gosto ou impossível. Ao longo de mais de 2 anos fui a mãe e a esposa e a dona de casa e sentia_e cada vez menos a Sofia. Tinha saudades de mim. Hoje vejo que faz parte e que não faz mal, de todo. Que é uma bênção podermos ficar com eles a tempo integral, apesar de humanamente duro, muito duro. Tive vezes de pensar em atirar me pela janela para poder descansar. Privação do sono não ajudava a pensar com clareza. Enfim, aproveita o momento, sente te legítima nele. Um grande beijinho

Deixar Resposta