Um dia quero ser como ela - Birras em Direto

Um dia quero ser como ela

Quero dar os parabéns à minha mãe. Apesar do foco constante em nós, em mim e nos meus irmãos, tem aguentado muito até agora. E não falo só destes últimos meses, não, refiro-me ao facto de sempre ter colocado a família à frente de tudo sem nunca hesitar.

Num ano tudo mudou para nós, mas a sua vida deu uma volta de 180º. E, mesmo assim, dedicou-se ainda mais a nós, principalmente a mim.

Claro que tem as suas coisas e, apesar de ser mãe, não deixa de ser mulher. Mas o que seria de mim ou, melhor, de nós sem ela? Precisamos dela como é, com toda aquela força e perseverança que só uma guerreira daquele calibre consegue ter.

Um dia quero ser como ela, apesar de dizerem que já o sou (eheheh).

Vejo um brilho no olhar do meu pai quando a olha, reconheço porque a mim, segundo dizem, também me acontece o mesmo. Ontem, enquanto cantava a música do Carlos Paião, a Cinderela, que aprendi na escola, o meu papá perguntou quem era a mulher da minha vida e imediatamente respondi que era a mamã. Será ela a primeira grande mulher da minha vida?

Foi complicado para mim estar longe dela durante todo este tempo, mas tenho a certeza que lhe custou muito mais a ela. Uma vez fiquei internado uma semana, quando era mais pequenino, ela ficou dia e noite a segurar na minha mão e a dar-me colinho sem sair do meu lado um único segundo.

Não deu parte fraca e não chorou uma única vez, mas percebi que tinha dificuldade em controlar as lágrimas porque tinha os olhos sempre vermelhos. Nunca me faltou nada, ela antecipava sempre às minhas necessidades. Faz sempre questão de me dar muitos beijinhos e abraços diariamente e dizer que me ama.

É claro que retribuo na mesma moeda, porque aprendi com a melhor. Deixa-me brincar, sujar-me, quando tenho um dói-dói trata de mim, ri das minhas parvoíces, mesmo das que não têm piada nenhuma.

Ser mãe é isto, não é?

Ela já saiu do internamento uma vez, mas esteve em casa apenas quatro dias. Depois voltou a ser internada e agora está novamente junto de mim, mas fico confuso com tudo isto. Sei que não me tenho comportado da melhor maneira, mas só quero a sua atenção e tenho medo que volte para o hospital.

Só quero abraçá-la, dizer-lhe muitas vezes que a amo, dormir com ela e brincar muito. Estou desejoso que os manos estejam aqui, mas acho que vou ser um bocadinho ciumento. Ainda assim, os papás dizem que vou ajudar muito.

Até já sei abanar o berço para eles adormecerem, tem é de ser devagarinho…

Desculpa, mamã, se tenho feito muitas birras nos últimos dias, mas às vezes não sei expressar aquilo que sinto e fico revoltado.

Não tem sido fácil também para mim. Sei que o papá e o avô têm sido super-heróis a cuidar de mim, mas sabes que tu és a minha mamã. Estou ansioso por poder voltar para o teu colo, para poderes brincar comigo, para me dares banhinho e abraçares no quentinho, para jogares comigo à bola e corrermos os dois no parque.

Só quero ter a minha mamã de volta e sei que está quase. Eu aguento mais um bocadinho…

Obrigada a vocês pelo carinho que têm pela nossa família,

Beijinhos

Rafa.

Estou à tua espera também no Instagram e no Facebook 

Só tens de me seguir 
😊

Lê também estes Artigos

1 Comentário

  • Carla Trindade 2 meses ago Responder

    Vocês são uma Família Linda… ❤😍😘

Deixar Resposta